quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Rio recebe trens e barca comprados na China por R$ 293 mi

24/12/2014 - Revista Exame

A previsão é que, dentro de 60 dias, barca e trens já estejam circulando.

Rio de Janeiro - A cidade do Rio de Janeiro recebeu seguna-feira (22), quatro trens e uma barca, denominada Pão de Açúcar, comprados na China pelo governo estadual, por R$ 293 milhões, para reforçar o transporte público na capital fluminense.

O governador do estado Luiz Fernando Pezão destacou a importância das novas aquisições para a cidade, pois "há mais de 50 anos que não se comprava uma barca nova".

A barca, que irá operar na linha Praça XV-Araribóia, tem capacidade para dois mil passageiros e, segundo a concessionária do serviço, é apenas a primeira de um total de oito novas embarcações que estarão em funcionamento até junho de 2015.

A nova embarcação, de dois andares, possui dupla proa e é equipada com ar-condicionado, janelas panorâmicas, bicicletário, espaço para cadeirantes e possibilidade de embarque e desembarque simultâneo.

Já os quatro novos trens, poderão transportar até 1,2 mil passageiros em cada viagem e possuem ar-condicionado, passagem interna entre os vagões, sistema que não permite a abertura das portas durante as viagens, sistema interno de segurança, mais iluminação e maior espaço interno.

Segundo a Secretaria de Estado de Transportes (Setrans), de 100 trens chineses comprados pelo estado, 50 já estão em circulação e fazem o transporte de 48 mil pessoas diariamente.

Por e-mail, o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha, afirmou que o processo de renovação do sistema ferroviário do Rio de Janeiro é irreversível, contínuo e fundamental para os passageiros.

Fonte: Agência Brasil/Revista Exame 

Barca Pão de Açúcar chega ao Rio de Janeiro



sábado, 20 de dezembro de 2014

Rio recebe nova barca e quatro composições ferroviárias mais modernas

19/12/2014 - Agência Rio

O Rio de Janeiro recebe nesta sexta-feira (19) uma nova barca e quatro composições de trens. Os veículos de transporte, chegaram em um navio cargueiro proveniente da cidade chinesa de Guangzhou e servirão às concessionárias Barcas S.A – que faz o transporte hidroviário no estado – e Supervia, que administra os trens urbanos do Grande Rio. Segundo a Secretaria Estadual de Transportes, essa é a primeira vez que um navio traz, na mesma viagem, duas categorias diferentes de transportes de massa.

A secretária estadual de transportes, Tatiana Carius, disse que outras seis embarcações do mesmo porte serão integradas à frota atual no próximo ano. "Juntas, as sete barcas vão possibilitar uma oferta de 24 mil lugares por hora no horário de rush, o dobro do número da média e passageiros transportados atualmente no trajeto Praça XV–Araribóia [Niterói]", disse.

A CCR Barcas, responsável pelo transporte aquaviário entre os dois municípios, informou que o novo catamarã, totalmente refrigerado e com capacidade para 2 mil passageiros, irá melhorar a travessia Rio–Niterói, proporcionando mais rapidez e conforto aos passageiros.

Henrique Guedes, de 35 anos, morador de São Gonçalo, diz que atualmente prefere usar ônibus do que usar as barcas. "Às vezes prefiro pegar o ônibus, porque a barca pode ser uma roleta-russa. No dia em que tudo está funcionando, é uma maravilha, mas caso ocorra algum problema, é terrível. Você corre o risco de perder toda a manhã e ainda ouvir piadas no trabalho", desabafou.

A SuperVia informou que das 70 composições chinesas que foram encomendadas pelo governo do estado, 20 já estão nos trilhos da concessionária. Os trens chineses são composições de quatro carros que contam com passagem interna entre eles, sistema que não permite a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de câmera, painéis de LED, bagageiro e capacidade para transportar 1,2 mil pessoas.

Paralelamente, a empresa comprou dez trens nacionais (modelos de oito carros) e todos estão a serviço dos passageiros. Ainda de acordo com a companhia, com a chegada dos novos trens, composições mais antigas estão saindo de circulação. A previsão é que em 2016 os passageiros contarão com 100% de composições com ar condicionado.

Johnny Clayton, 20 anos, é morador de Nova Iguaçu, na baixada fluminense e utiliza os trens da SuperVia. Ele comemora a aquisição de trens mais modernos e com aparelhos de ar condicionado. "Em dias de muito calor, a temperatura parece chegar a 40 ºC graus e, às vezes, pegamos veículos em péssimas condições de conservação. Algumas pessoas chegam a passar mal. Já presenciei casos em que o vagão estava de porta aberta", disse.

C/ AGÊNCIA BRASIL

YR

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Melhorar transporte na Baixada será prioridade do novo secretário estadual

16/12/2014 - O Globo

POR TAÍS MENDES

Osorio anuncia BRT na Região Metropolitana, a possibilidade de novas linhas hidroviárias e incentivos à implantação da aviação regional


Carlos Roberto Osório, o novo secretário estadual de Transportes - Fernando Frazão / Agência O Globo

RIO - No primeiro dia útil de sua gestão, no dia 2 de janeiro, o novo secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, vai sentir na própria pele como é andar de trem, barca e metrô. Ele garante que esse será o seu primeiro ato para, só depois, montar seu cronograma de trabalho. Mas uma coisa já é certa, por recomendação do governador Luiz Fernando Pezão: trabalhar para uma melhor integração da mobilidade do transporte na Região Metropolitana.

— Hoje tenho uma reunião com a secretária Tatiana (Tatiana Vaz Carius) para me inteirar dos assuntos da secretaria, mas o entendimento do governador é que existem oportunidades para melhorar a qualidade de atendimento do usuário dessa região. Tenham certeza de que no primeiro dia útil de 2015 estarei nas ruas andando nos meios de transportes públicos do estado — afirmou, acrescentando que o Rio ficou 30, 40 anos sem investir em transporte — Sucateamos nossa rede de alta capacidade. Já foi feito um esforço grande de recuperação dessa rede, mas o estado tem muitos projetos em andamento. Nossa missão é dar prosseguimento a isso e trabalhar para melhorar a oferta de serviços — completou o novo secretário.

Consciente do momento atual da cidade, cercada por obras que deixam o trânsito caótico, Osorio admite que não será fácil convencer a população a deixar o carro em casa:

— Conheço bem a realidade do município. Entendemos que, para fazer esse pedido, em contrapartida temos que melhorar o transporte público. Mas isso se dará de forma gradativa. À medida que o transporte vai melhorando, mais gente vai deixando o carro em casa.

De acordo com o secretário, a Linha 3 do Metrô, ligando Niterói a São Gonçalo, sairá do papel. As obras estão previstas para iniciar ao longo de 2015, ainda sem uma data precisa:

— O governador passou isso como sendo uma determinação. Os recursos já foram negociados entre os governos estadual e federal. A principal barreira, que era o financiamento, está encaminhada — garantiu.

Osorio disse que para qualificar e mudar o transporte na Região Metropolitana precisará vencer desafios:

— O primeiro é a Baixada Fluminense, onde temos o objetivo de melhorar a rede de trens, com novas composições, todas com ar-condicionado, que já forma encomendadas e devem chegar ao longo do ano que vem. Até 2016 temos que completar a refrigeração e renovar cem por cento da frota. Outro desafio é a requalificação gradativa das estação de trens. Vamos também usar equipamentos que permitem a redução dos intervalos entre os trens. Eles já estão em teste no ramal de Deodoro. Isso aumentará a frequência, possibilitando uma maior oferta para os passageiros. Até 2016, haverá uma significativa melhora do serviço. E vamos ligar os municípios da Baixada com BRTs.

Segundo Osorio, a Região Metropolitana também ganhará corredores do BRT:

— O governo estuda a implantação de uma rede de BRTs, ligando o eixo da Via Dutra e da Rodovia Washington Luís com a Avenida Brasil e conectando aos trens da SuperVia. Isso reduzirá a quantidade de ônibus intermunicipais que acessam o Centro do Rio. Além de um conjunto de BRTs que será implantado fazendo a ligação Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

O novo secretário destacou que o governo pretende aproveitar a próxima licitação do pedágio da Ponte Rio-Niterói para incluir melhorias viárias para o acesso de carga ao Porto do Rio.

— O Arco Metropolitano facilita a circulação de cargas, mas temos a ideia de aproveitar a nova licitação, que vai ser feita pelo Ministério dos Transportes, e incluir investimentos em novos acessos da ponte com o Caju, a Linha Vermelha e a Avenida Brasil — adiantou.

Osorio também planeja criar novas linhas marítimas na Baía de Guanabara:

— Está em estudo, mas ainda vou receber esses dados. O que está garantido são as novas barcas, já contratadas pelo governo do estado. Com isso, há a possibilidade de aumentar o transporte hidroviário na baía, que tem capacidade para isso.

Ele disse ainda que o governo tem planos de ampliar e melhorar os aeroportos no interior:

— Existe um esforço, um plano de incentivo, de aumentar a aviação regional, mas ainda preciso conhecer de perto os estudos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/melhorar-transporte-na-baixada-sera-prioridade-do-novo-secretario-estadual-14846011#ixzz3M5k6eInS 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Barca Pão de Açúcar chega ao Rio de Janeiro na sexta

15/12/2014 - O Fluminense

Com capacidade para transportar 2 mil passageiros, as novas barcas têm dupla proa, ar-condicionado e janelas panorâmicas. Foto: Divulgação/Shana Reis

Embarcação vai integrar a linha Praça XV-Arariboia e poderá substituir duas embarcações tradicionais. Também serão entregues quatro trens chineses

A barca Pão de Açúcar e mais quatro novos trens para a SuperVia, todos encomendados pelo Governo do Estado, chegam ao Porto do Rio na sexta-feira (19). O cargueiro Da Ling, que faz o transporte da barca e composições, saiu da cidade de Ganghzou, na China, no dia 15 de novembro. Pela primeira vez, um navio traz, na mesma viagem, dois diferentes equipamentos de transporte público de alta capacidade.

A Pão de Açúcar vai integrar a linha Praça XV-Araribóia e poderá substituir duas embarcações tradicionais, com previsão de transportar 30 mil passageiros por dia.

"Outras seis embarcações do mesmo porte serão totalmente integradas à frota já no ano que vem. Juntas, as sete barcas vão possibilitar uma oferta de 24 mil lugares por hora no horário de rush, o dobro do número da média e passageiros transportados hoje no trajeto Praça XV-Araribóia, no qual irão operar", explica a secretária estadual de Transportes, Tatiana Carius.

Com capacidade para transportar 2 mil passageiros, as novas barcas têm dupla proa, ar-condicionado, janelas panorâmicas, bicicletário e espaço exclusivo para cadeirantes, além de dois andares, com possibilidade de embarque e desembarque simultâneos.

Já os trens poderão ampliar a oferta diária em 48 mil lugares para os passageiros dos ramais ferroviários do Grande Rio. Do total de 100 trens chineses comprados pelo Governo do Estado, 50 já estão em operação, atendendo os passageiros do sistema.

Com capacidade para transportar 1,2 mil pessoas, cada trem chinês conta com refrigeração, passagem interna entre os carros, sistema que impede a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de segurança, bagageiros, interiores mais amplos e iluminados, além de painéis de LED.

Da frota total de 200 trens da SuperVia, 135 já são refrigerados. Até o fim de 2015, toda a frota será renovada e contará com ar-condicionado.  


O Fluminense

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

BARCA E MAIS QUATRO TRENS CHINESES CHEGAM AO RIO ESSA SEMANA

15/12/2014 - Setrans, Governo RJ


Embarcação chinesa que carrega os veículos chega ao Porto do Rio na próxima sexta-feira (19)

No próximo dia 19, chega no Porto do Rio o navio chinês Da Liang, que traz a barca Pão de Açúcar mais quatro novos trens para a SuperVia, todos encomendados pelo Governo do Estado. 
 
A Pão de Açúcar vai integrar a linha Praça XV-Araribóia e poderá substituir duas embarcações tradicionais, com previsão de transportar 30 mil passageiros por dia. Outras seis embarcações do mesmo porte serão totalmente integradas à frota já no ano que vem. Juntas, as sete barcas vão possibilitar uma oferta de 24 mil lugares por hora no horário de rush, o dobro do número de passageiros transportados hoje no trajeto Praça XV-Araribóia, no qual irão operar. 
 
Com capacidade para transportar 2 mil passageiros, as novas barcas têm dupla proa, ar-condicionado, janelas panorâmicas, bicicletário e espaço exclusivo para cadeirantes, além de dois andares, com possibilidade de embarque e desembarque simultâneos.
 
Já os trens poderão ampliar a oferta diária em 48 mil lugares para os passageiros dos ramais ferroviários do Grande Rio. Do total de 100 trens chineses comprados pelo Governo do Estado, 50 já estão em operação, atendendo os passageiros do sistema.
 
Com capacidade para transportar 1,2 mil pessoas, cada trem chinês conta com refrigeração, passagem interna entre os carros, sistema que impede a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de segurança, bagageiros, interiores mais amplos e iluminados, além de painéis de LED.
 
Da frota total de 200 trens da SuperVia, 135 já são refrigerados. Até o fim de 2015, toda a frota será renovada e contará com ar-condicionado.  

domingo, 14 de dezembro de 2014

Nova linha do catamarã inaugura nesta sexta-feira

12/12/2014 - Jornal do Comércio

Após mais de dois anos de expectativa, a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) inaugura nesta sexta-feira a nova linha do catamarã, que possuirá uma parada em frente ao BarraShoppingSul. A iniciativa faz parte do Plano Hidroviário Metropolitano elaborado em conjunto com os técnicos da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Superintendência de Portos e Hidrovias e Marinha. O percurso vai ligar o bairro Cristal ao Cais Mauá e ao Centro de Guaíba.

A viagem inaugural vai sair do Armazém B3, no Centro de Porto Alegre, para o terminal hidroviário Cristal, às 14h45min. No píer do BarraShoppingSul, às 15h, será realizada a inauguração oficial e serão divulgados os novos horários do modal. Depois, a embarcação segue para o município de Guaíba. O superintende da Metroplan, Oscar Escher, manteve segredo sobre o início da operação comercial da linha. "Na inauguração serão revelados os detalhes", prometeu. Ele também preferiu não adiantar se será feito neste momento o transporte hidroviário municipal.

Na terça-feira, a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) convocou uma coletiva de imprensa para avisar que a homologação do aditivo contratual da CatSul que permite o serviço só será feita no dia 18 de dezembro. Outro fato revelado pela Agergs é que o aditivo avaliado não prevê o trajeto municipal, não sendo permitido que os passageiros embarquem no cais e desçam no Barra ou vice-versa. O desembarque só pode ser feito entre as cidades de Porto Alegre e Guaíba. Isso se deve pelo fato de a empresa responsável pelo catamarã ter vencido a licitação para fazer transporte metropolitano. Assim, a CatSul preferiu manter a viagem inaugural na sexta-feira, mas deixar indefinida a data da operação comercial. Possivelmente, o trajeto comece realmente a ser feito após a liberação da Agergs.

Com a utilização do novo píer, o usuário vai levar 14 minutos do bairro Cristal até o centro de Guaíba, percorrendo aproximadamente 12 quilômetros. Já o tempo do município de Guaíba até o Cais Mauá, com parada no bairro Cristal, será de 28 minutos, com aproximadamente 24 quilômetros percorridos. Além das 38 travessias diárias, serão disponibilizados horários alternativos. O valor da tarifa da Capital para a Região Metropolitana será de R$ 7,35 e na Capital, do BarraShoppingSul até o Cais Mauá, será de R$ 5,00, de acordo com a Metroplan.

Atualmente, a CatSul possui três embarcações para a realização do transporte hidroviário. Cada catamarã tem capacidade para 120 passageiros. A expectativa é de que três mil usuários por dia utilizem este tipo de transporte.

Prefeitura assinará contrato com a CatSul para que passageiros possam desembarcar no Barra

Para resolver o impasse envolvendo o transporte hidroviário municipal, a prefeitura assina nesta sexta-feira o contrato entre a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e a Catsul para a linha experimental do Catamarã de Porto Alegre, que irá fazer o trajeto, ida e volta, entre o Centro Histórico e o bairro Cristal. O objetivo é criar uma nova alternativa de deslocamento para os moradores e visitantes da zona Sul. O convênio é necessário para que os passageiros possam sair do Centro da Capital e descer no BarraShoppingSul.

No final de novembro deste ano, a Marinha do Brasil, em evento público, anunciou a aprovação do traçado da hidrovia, permitindo assim que seja assinado o contrato para início da linha urbana do Catamarã, com trajeto do Centro até o bairro Cristal. O processo de manifestação de interesse foi publicado pela prefeitura em 16 de dezembro de 2011. A definição da empresa interessada – a única que apresentou proposta foi a Catsul –, se deu em fevereiro de 2012. Como a linha é experimental, será necessária a realização de uma licitação futura para a operação comercial do trajeto.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Nova embarcação chega ao Rio em dezembro para integrar linha Praça XV-Arariboia

19/11/2014 - Agência Rio

O governo do estado informou nesta quarta-feira (19) que já está a caminho do Rio a primeira das sete embarcações encomendadas pelo Governo do Estado ao estaleiro China Shipping Group/AFAI. A barca Pão de Açúcar partiu da cidade de Guanghzou na madrugada do último domingo (16) e deve chegar ao porto carioca na primeira quinzena de dezembro.

As outras seis embarcações do mesmo porte serão totalmente integradas à frota até o mês de agosto do próximo ano. Juntas, as sete barcas vão possibilitar uma oferta de 24 mil lugares por hora no período de rush da linha Praça XV-Arariboia. Já o tempo de travessia entre os dois municípios será reduzido de 18 para 10 minutos.

Com capacidade para transportar 2 mil passageiros, as novas barcas têm dupla proa, ar-condicionado, janelas panorâmicas, bicicletário e espaço exclusivo para cadeirantes, além de dois andares, com possibilidade de embarque e desembarque simultâneos.

- Os usuários já percebem uma nova realidade no dia a dia do sistema. Reformas e ampliações de estações, cinco catamarãs alugados em operação, além de diminuição nos intervalos de partidas das embarcações. As novas barcas chegam para mudar completamente o paradigma de mobilidade no transporte aquaviário. Até o próximo ano, teremos embarcações modernas e muito mais rápidas em todas as linhas, garantindo economia de tempo e mais comodidade aos usuários - afirma a secretária estadual de Transportes, Tatiana Carius.

Para renovar a frota, o Governo do Estado investiu R$ 273 milhões nas sete barcas chinesas e em outros dois catamarãs nacionais, de 500 lugares. Montadas pelo estaleiro cearense Inace, os catamarãs menores vão atender aos trajetos entre a Ilha Grande e as estações de Mangaratiba e Angra dos Reis.

Outras quatro barcas, também de 500 lugares, foram compradas para operar nas linhas Paquetá e Cocotá. O vencedor da licitação, concluída em outubro, foi o estaleiro African Gulf.

MS

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Nova Barca da linha Rio-Niterói, construída na China, já está a caminho do Brasil

17/11/2014 - O Globo

Embarcação tem dois andares e capacidade para duas mil pessoas

NITERÓI - A barca Pão de Açucar saiu da China em direção ao Rio na madrugada deste domingo. Ela será a primeira das sete novas embarcações compradas pelo governo do estado a chegar ao Brasil. A viagem de Guanghzhou, onde fica o estaleiro responsável pela construção, até o Rio deve ser concluída na primeira quinzena de dezembro.

A Pão de Açucar vai operar na linha entre a Praça Quinze e a Praça Araribóia. A embarcação tem dois andares e capacidade para duas mil pessoas. Ela também possui dupla proa, o que permite a partida e a saída do atracadouro sem necessidade de manobra. Segundo o governo do estado, todas as sete barcas novas são equipadas com ar-condicionado, janelas panorâmicas, bicicletários e 100% de acessibilidade para deficientes e idosos.

As outras seis embarcações do mesmo porte serão totalmente integradas à frota até o mês de agosto do próximo ano. Juntas, as sete barcas vão possibilitar uma oferta de 24 mil lugares por hora no período de rush da linha entre Rio e Niterói. Já o tempo de travessia entre os dois municípios será reduzido de 18 para 10 minutos.

Para renovar a frota, o Governo do Estado investiu R$ 273 milhões nas sete barcas chinesas e em outros dois catamarãs nacionais, de 500 lugares. Montadas pelo estaleiro cearense Inace, os catamarãs menores vão atender aos trajetos entre a Ilha Grande e as estações de Mangaratiba e Angra dos Reis.

Outras quatro barcas, também de 500 lugares, foram compradas para operarem nas linhas Paquetá e Cocotá. O vencedor da licitação, concluída em outubro, foi o estaleiro African Gulf.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Travessia Porto Alegre-Guaíba

24/10/2014 - Jornal do Comércio - RS

Dia 28 de outubro, a travessia Porto Alegre-Guaíba completa três anos e consolida a viabilidade do transporte hidroviário na Região Metropolitana. O serviço, que hoje é tido como referência nacional nesta modalidade, aguarda condições legais para novas rotas.

Em três anos foram transportados 2,1 milhões passageiros em 30 mil viagens, com mais de 11 mil horas de navegação. Resultado que atende às expectativas da CatSul, empresa operadora da travessia, conforme seu diretor de operações, engenheiro Carlos Bernaud.

Os números mostram que o resultado é positivo e que se tornam mais expressivos se considerarmos que essa travessia estava inativa há 50 anos. Aos dois catamarãs que iniciaram a operação da travessia, mais um foi agregado neste ano, permitindo ampliar a oferta de lugares e a criação de viagens extras nos horários de maior movimento. Condições que contribuíram para o êxito do serviço são a qualidade, segurança e pontualidade, o foco de todo o serviço.

Para facilitar a utilização dos catamarãs, foi criada a possibilidade de integração com ônibus em Guaíba, começando pelo bairro Florida, depois Colinas e agora também no bairro Santa Rita. O percurso de ônibus entre bairro-catamarã e vice-versa é oferecido gratuitamente em todos os horários, permitindo o embarque imediato tanto para a Capital quanto, no retorno, para os bairros.

A criação de novas rotas é uma possibilidade cada vez mais próxima. O píer do BarraShopping está pronto e tão logo tenha condições legais, iniciará a operação. Também está em estudos uma rota que vai ligar o estádio Beira-Rio ao Centro de Treinamentos do Internacional, que será construído em Guaíba. Já o transporte para as ilhas depende da realização de licitação.  

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

398 anos de Belém do Pará

05/10/2014 - Jornal MG Turismo

Belém, capital paraense, completou 398 anos de fundação. Integrada à Região Metropolitana, que congrega os municípios de Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara e os distritos de Icoaraci, Mosqueiro e Outeiro, é considerada o "portão de entrada da região amazônica".

Além de seu conte histórico, o município sede dos poderes executivo, legislativo e judiciário do Pará, definido como "obra prima de Amazônia" vive momentos de franco crescimento no segmento turístico. Palco do resgate de aparelhos turísticos de grande importância para o setor, a cidade que originariamente teve, entre outras, a denominação de "Belém de Santa Maria do Grão Pará" é, sem dúvida alguma, um dos bons destinos nos roteiros de turistas de todo o mundo.

Sua culinária diversificada e exótica é apreciada por quantos buscam encontrar na antiga "cidade das mangueiras", momentos de lazer e entretenimento mais próximos da natureza. Mangal das Garças, Estação das Docas, Complexo Feliz Lusitânia, Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, além dos internacionalmente conhecidos Ver-o-Peso e arquipélago do Marajó, são pontos de atração turística que fazem da "cidade morena onde reinam o açaí e o pato no tucupi" alvo de cada vez mais crescente número de turistas nacionais e internacionais.

Integração no transporte facilita trânsito – Com ônibus semi-expressos – 19 linhas de transportes coletivos circulam sem parar na Avenida Almirante Barroso, principal eixo de entrada na capital paraense, – a abertura da primeira etapa do corredor do BRT facilita a trafegabilidade de veículos em um dos principais trechos de circulação do trânsito na cidade.

O prefeito belenense, Zenaldo Coutinho, e outras autoridades municipais fizeram a viagem inaugural desse serviço que beneficiará cerca de 120 mil pessoas por dia. Esse modal de transporte coletivo garantirá que passageiros das linhas que servem a bairros da rodovia Augusto Montenegro e da BR-316 percorram a Avenida Almirante Barroso de forma expressa, sem paradas para embarque e desembarque, economizando significativo tempo de viagem nos horários de "pico", no sentido bairro-centro ou vice-versa.

A inauguração do trecho concluído foi adiada a pedido da presidenta Dilma Rousseff, que estará na cidade neste mês para descerrar a placa inaugural. "O BRT tem financiamento federal e a presidente Dilma quer estar aqui. Por isso, a cerimônia de inauguração será em data a ser confirmada", esclareceu o prefeito Zenaldo Coutinho.

Primeiro BRT rodo fluvial do país na capital paraense - Ainda na esteira das comemorações alusivas aos 398 anos de Belém, o prefeito Zenaldo Coutinho anunciou, em audiência pública no distrito de Icoaraci, que a capital paraense terá possivelmente o primeiro BRT com integração rodo fluvial do Brasil.

Dez portos farão o transporte público da Região Metropolitana de Belém em sintonia com ciclovias e faixas de ônibus em sistema de bilhete único. As obras de infraestrutura para execução desse projeto estão estimadas em R$ 52 milhões, podendo ser financiados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 50). O público estimado para usar o novo modelo de transporte é de pelo menos 600 mil passageiros por semana.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Novo ferry fabricado na Grécia faz viagem com capacidade reduzida

02/10/2014 - G1 - BAHIA

As duas novas embarcações do sistema ferry-boat adquiridas na Grécia foram liberadas pela Capital dos Portos para operação na Bahia, na quarta-feira (1º), informou a Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra)

De acordo com a Seinfra, o ferry Dorival Caymmi começou operação assistida ainda na quarta-feira e fez uma viagem de ida e volta partindo do Terminal de São Joaquim, na capital baiana, até o de Bom Despacho, na Ilha de Itaparica.

A segunda embarcação, o ferry Zumbi dos Palmares, deve entrar em funcionamento nesta quinta-feira (2). A secretaria não soube informar a partir de que horas o ferry vai começar a transportar os passageiros. Segundo o órgáo, os demais ferries operam normalmente e não irão alterar os horários.

Durante o período de operação assistida, a carga dos ferreis será aumentada gradativamente, até a capacidade plena que, somada, é de 353 carros e quase 3 mil passageiros, informou a Seinfra. O tempo de travessia dos ferries é de 35 minutos.

O início da operação dos ferries estava previsto para começar no último final de semana. No entando, a Seinfra informou que foi adiada por conta da exigência da Capitania dos Portos de um documento da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

Investimento

Os ferries Dorival Caymmi e Zumbi dos Palmares foram fabricados na Grécia e custaram R$ 54,9 milhões. Assim que derem início às operações, as duas embarcações dobrarão a capacidade de transporte de carros e aumentarão em 75% a de passageiros, de acordo com a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba).

domingo, 28 de setembro de 2014

Barcas poderá ter linha ligando Praça XV a Caxias

19/09/2014 - Agência Rio

Da Redação

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou projeto de lei que cria uma nova linha social para as barcas, ligando a Praça XV, no Centro da cidade do Rio, ao Parque Trevo das Missões, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Pelo texto do projeto de lei 1.542/12, do deputado Dica (PMDB), caberá à Secretaria de Estado de Transporte definir os pontos de parada intermediários necessários para atender e otimizar a demanda.

A implantação do serviço se dará por contrato e nos moldes do regime de concessão da legislação em vigor, sendo que a licitação para a linha Praça XV-Trevo das Missões ocorrerá por concorrência pública. O serviço será prestado por concessionária, com fiscalização do estado e cobrança de tarifas. As mesmas serão fixadas através do termo de concessão, que estipulará as cláusulas de reajuste e de revisão, conforme o edital e a lei em vigor.

Para o deputado, a proposta é uma forma de minimizar as dificuldades enfrentadas pelos moradores da Baixada Fluminense para chegar ao trabalho. "São milhares de pessoas que todos os dias passam, no mínimo, quatro horas (ida e volta) se deslocando para o trabalho. É preciso encontrar alternativa, a baixo custo, para proporcionar melhores condições para a população. O transporte hidroviário pode ser a grande solução", avalia o deputado.

FA

A primeira das nove novas barcas adquiridas pelo Rio chega em novembro

19/09/2014 - Agência Rio

As nove novas embarcações compradas pelo Governo do Estado para o sistema de transportes aquaviário do Rio de Janeiro já têm nome e data para a primeira entrega. Com 80% dos votos, o tema pontos turísticos foi escolhido pela população, que votou por intermédio do site da concessionária e de totens eletrônicos instalados nas estações Praça XV e Araribóia. A primeira barca terá o nome de "Pão de Açúcar", que tem previsão de chegada para novembro deste ano.

Os nomes escolhidos das outras oito embarcações serão "Corcovado", "Copacabana", "Parque da Cidade", "Fortaleza de Santa Cruz", "Ilha Grande", "Angra do Reis", "Itacoatiara" e "Praça Araribóia".

- A campanha fez sucesso entre os passageiros. Ao todo, foram 2.847 votos, dos quais 80% escolheram os pontos turísticos – conta a secretária estadual de Transportes, Tatiana Carius.

Em 2013, o Governo do Estado investiu R$ 273 milhões na compra de nove embarcações. Sete delas, com dois mil lugares cada uma, estão sendo fabricadas na China, pelo estaleiro China Shipping Group/ AFAI, e vão operar na linha Praça XV-Araribóia. As outras duas, com capacidade para transportar 500 passageiros, estão sendo montadas pelo estaleiro Inace, no Ceará, e farão o trajeto Mangaratiba-Ilha Grande-Angra do Reis.

Equipadas com ar-condicionado, as novas embarcações possuem janelas panorâmicas e maior espaço interno para embarque e desembarque simultâneo. Idosos e deficientes vão contar com entradas exclusivas pelas laterais.

A secretária destacou também a diminuição do tempo de viagem com a chegada das novas embarcações.

- O tempo médio de travessia Rio-Niterói, que hoje é de 18 minutos, passará para apenas 10 minutos. A chegada das novas embarcações permitirá ainda a ampliação da capacidade de fluxo de passageiros na linha Rio-Niterói de 12 mil para 24 mil usuários por hora em cada sentido, no horário de pico.

Até 2007, o sistema de transporte aquaviário contava apenas com 19 embarcações em operação e transportava em média 62 mil pessoas por dia. Hoje são 24 barcas, incluindo 15 catamarãs e nove barcas tradicionais. Após investimentos no setor, como a reforma de estações e a ampliação da oferta de viagens, chegam a ser transportadas até 140 mil pessoas em um único dia.

MS

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Passageiros da CCR Barcas podem escolher nomes das novas embarcações

18/09/2014 - O Globo

RIO - Mais de mil passageiros da CCR Barcas já participaram da pesquisa para escolher os nomes das nove novas embarcações que irão reforçar a frota. A enquete está disponível em totens eletrônicos, até o próximo sábado, nas estações da Praça XV e da Praça Arariboia, além do site www.grupoccr.com.br/barcas. Os internautas poderão escolher os nomes dentre três temas: pontos turísticos, escolas de samba e cidades olímpicas.O primeiro novo catamarã, com capacidade para dois mil passageiros, está previsto para chegar ao Brasil em novembro deste ano, e fará a travessia Rio-Niterói.

Os usuários têm as seguintes opções para votar:

Pontos turísticos: Pão de Açúcar, Corcovado, Itacoatiara, Copacabana, Forte Santa Cruz, Ilha Grande, Angra dos Reis, Parque da Cidade e Arariboia

Escolas de Samba: Viradouro, Porto da Pedra, Cubango; Mangueira, Portela; Grande Rio, Beija-Flor, Tijuca e União da Ilha do Governador

Cidades Olímpicas: Atenas, Londres, Rio de Janeiro, Moscou, Tókio, Roma, Barcelona, Pequim, Los Angelese Montreal

Até agora, o tema mais votado foi pontos turísticos, com 80%.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Conheça o novo sonho de transporte pela baía da Babitonga entre Joinville e São Francisco do Sul

08/09/2014 - A Notícia - Joinville/SC


O velho sonho de ver embarcações lotadas de passageiros atravessando todos os dias o percurso entre Joinville e São Francisco pela baía da Babitonga, que teve seu auge mais recente em 2009, com o Jetbus, volta com força a partir de outubro. O Deter autorizou novamente uma empresa de Florianópolis a fazer a linha que sai do bairro Espinheiros e vai até o terminal do Centro Histórico de São Francisco do Sul, passando pela Vila da Glória.



A autorização é de dezembro do ano passado, mas só agora há todas as condições para retomar o projeto. Segundo, Pablo Balbis, dono da empresa Marinebuss Transporte Marítimo e Fluvial de Passageiros, as equipes estão em treinamento, à espera da autorização da Marinha. O transporte prevê que dois barcos com capacidade para 60 lugares façam pelo menos cinco horários todos os dias. Uma terceira embarcação, menor, fará uma espécie de limpeza da baía, retirando entulho, lixo e até parte do lodo que dificulta a navegação até o Centro de Joinville pelo rio Cachoeira.

Como o sobe e desce da maré no Cachoeira impede a programação de horários, o ponto de partida e chegada em Joinville será o trapiche do Parque Porta do Mar, no bairro Espinheiros. O terminal construído no Centro para o projeto Jetbus deve ser reformado para servir como ponto de venda de bilhetes e para fazer a integração com os ônibus.

Assim, as pessoas poderiam fazer o passeio completo do Centro de Joinville ao Centro de São Francisco do Sul pagando uma passagem integrada. O que impede a empresa de começar a operar é a falta de uma boia de sinalização da hidrovia na baía da Babitonga. A hidrovia foi refeita no começo deste ano, mas a boia foi furtada e é preciso que ocorra um novo processo de compra do equipamento. O prazo para exploração dos serviços é de cinco anos, com a possibilidade de ser prorrogado por mais cinco.

Novo modelo permite mais horários

Segundo o gerente de desenvolvimento sustentável e agricultura da SDR de Joinville, Ciro Harger, esse é o melhor modelo de projeto de transporte de passageiros na baía da Babitonga.

- Já temos toda a hidrovia sinalizada, embora falte uma boia. Pelo rio Cachoeira ficou impossível devido ao assoreamento, não dá mais para navegar ali - diz Harger, lembrando que no Espinheiros não existe o movimento de maré que ocorre no rio Cachoeira e inviabiliza o tráfego contínuo, com vários horários durante o dia.

Segundo o gerente, agora será possível navegar durante o dia e também à noite, mas é preciso que todas as pessoas que atravessam a baía ajudem a conservar e impedir ações de vandalismo.

- Arrancaram as sinalizações na primeira vez, a Marinha notificou o Estado e tudo ficou arrumado. Só que agora levaram uma boia de novo. Então, é preciso fazer um apelo para que as pessoas cuidem e ajudem a manter a sinalização da hidrovia - diz Harger.

A hidrovia tem sinalização náutica de acordo com as normas internacionais, com boias, lanternas (sinais luminosos), balizas (placas, como as de trânsito) que orientam a navegação. A reforma de toda a hidrovia custou cerca de R$ 150 mil ao Deter.

Todo o levantamento foi feito pela empresa Giramar Apoio Marítimo, que ganhou uma concorrência em pregão presencial no mês de março. Foi a Giramar que fez o trabalho em 2009, quando o trecho foi limitado para o uso do Jetbus.

COMO VAI FUNCIONAR

23 quilômetros

- É a distância da viagem entre Joinville e São Francisco do Sul pelas águas da baía da Babitonga.

Terminal Hidroviário Conde D´Eu

- Ao lado do Mercado Público de Joinville, no Centro. Ali serão vendidas as passagens e os tíquetes para a travessia. A ideia é fazer um transporte integrado. A pessoa poderá comprar a passagem do barco e já tomar um ônibus até o bairro Espinheiros.

Parque Porta do Mar

- É onde fica o trapiche de partida e chegada de passageiros em Joinville. No Espinheiros não há o mesmo problema do rio Cachoeira, que não permite o tráfego contínuo e com vários horários durante o dia, por causa do movimento da maré.

Terminal Marítimo no Centro Histórico de São Francisco do Sul

- É o ponto de partida e chegada dos barcos em São Francisco. A ideia é montar uma estrutura parecida com a de Joinville, com transporte integrado para as praias, durante a temporada.

Vila da Glória  

O trapiche da Vila da Glória será uma das paradas do Marinebus. Como já existe uma estrutura montada, basta organizar os horários e criar um ponto de venda de bilhetes.

O transporte

- Serão dois barcos, com 60 lugares cada. A previsão da empresa contratada é fazer pelo menos cinco viagens diárias.

Quanto custa

- Ainda não há um valor definido para a passagem. Estima-se que o valor fique muito próximo do que é pago pela passagem de ônibus, cerca de R$ 15.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Lançada ao mar a primeira das novas barcas compradas pelo governo do estado


Embarcação tem capacidade para dois mil passageiros e foi construída na China


A primeira das barcas chinesas compradas pelo governo estadualfoi lançada ao mar no estaleiro na China - Shana Reis / Divulgação - governo do estado

04/09/2014 - O Globo

RIO - Com capacidade para dois mil passageiros, a primeira das sete barcas chinesas compradas pelo governo estadual para o transporte marítimo na Baía de Guanabara foi lançada ao mar no estaleiro China Shipping, na China, onde as embarcações estão sendo construídas. A nova barca, que vai operar na ligação Rio-Niterói, chega ao Brasil em novembro. Todas estarão no Rio até o segundo semestre do ano que vem. O investimento é de R$ 227 milhões.

- Com a chegada dessas novas barcas para a travessia Rio-Niterói, vai ser possível dobrar a capacidade de passageiros transportados, passando de 12 mil para 24 mil usuários por hora em cada sentido, no horário de pico, disse a secretária estadual de Transportes, Tatiana Carius, acrescentando que o tempo médio de travessia Rio-Niterói, que hoje é de 18 minutos, passará para apenas 10 minutos.

Segundo a secretária, até 2007 o sistema de transporte aquaviário contava apenas com 19 embarcações em operação e transportava em média 62 mil pessoas por dia. Hoje são 24 barcas, incluindo 15 catamarãs e nove barcas tradicionais. Após investimentos no setor, como a reforma de estações e a ampliação da oferta de viagens, chegam a ser transportadas até 140 mil pessoas em um único dia.

As novas embarcações serão operadas pela concessionária CCR Barcas, que está concluindo os projetos de adaptação dos atracadouros do Rio e de Niterói para receber as novas lanchas. Em um mês, a estação do Rio da linha de Charitas será climatizada. A estação dos catamarãs Rio-Niterói, que é tombada pelo patrimônio histórico, está sendo reformada. Cinco embarcações foram alugadas para atender ao aumento da demanda de passageiros

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/lancada-ao-mar-primeira-das-novas-barcas-compradas-pelo-governo-do-estado-13830288#ixzz3COo9S6Ge

terça-feira, 24 de junho de 2014

Natal: Terminal de passageiros só estará pronto em julho

24/06/2014 - Tribuna do Norte - RN

Hoje é o último dia de jogo da Copa do Mundo em Natal, mas uma das principais obras previstas para a cidade no PAC da Copa só deverá estar operacional a partir de amanhã. Com 97% das obras concluídas, o Terminal Marítimo de Passageiros (TMP) do Porto de Natal não só ficou sem ver navios no período do Mundial, como também não tem qualquer embarcação confirmada para atracar até o momento. Segundo a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), a obra só estará 100% concluída na primeira quinzena de julho. A data de inauguração vai depender da agenda da Presidente Dilma Rousseff, informou a Codern.

O Terminal Marítimo de Passageiros de Natal representa um investimento de R$ 72,5 milhões. A expectativa era que ele fizesse de Natal uma das portas de entrada para os turistas que viessem assistir aos jogos da Copa do Mundo.

A Codern chegou a negociar a chegada de 3.500 mexicanos pelo TMP, no entanto, a empresa responsável pelo cruzeiro desistiu após ser informada de que o navio era mais alto que a Ponte Newton Navarro, o que acarretaria em atracar antes da ponte, no mar, e transportar os passageiros com embarcações menores até o terminal.

De acordo com o gerente de operações do Porto de Natal, Vinícius Guilherme Cavalcante, a partir de amanhã o TMP vai estar "funcional", mais ainda faltam acabamentos de algumas salas e de parte do mirante do terminal.

"Na quarta-feira, o terminal vai estar com todos os equipamentos necessários para fazer a liberação de bagagens e passageiros. As áreas da Polícia Federal, Receita Federal e Anvisa foram liberadas para iniciar a compatibilização das redes deles com a da Codern. O salão de recepção dos passageiros está todo mobiliado, com o necessário para que, se tivesse navio, todos fossem acomodados confortavelmente", disse o gerente de operações do Porto de Natal.

Atraso

Uma das justificativas para que o TMP não tenha ficado pronto antes da Copa é a evasão dos trabalhadores para outras obras, segundo Vinícius Guilherme. "O pessoal estava pedindo demissão da obra, que estava em processo de conclusão, para trabalhar em outras que tem maior duração, como as de mobilidade. Esse foi o principal ponto para não termos conseguido terminar antes", explicou.

Mas outro ponto pesou para que o terminal não fosse entregue antes do Mundial: a falta de navios para atracar no período. "Se tivesse navio, o terminal já poderia receber porque vários setores já estavam concluídos. A perda de mão-de-obra e a falta de navios foram os motivos para adiarmos a operacionalidade", comentou Vinícius Guilherme.

De acordo com o gerente de operações do Porto de Natal, apesar de estar quase operacional, o Terminal não tem nenhum navio programado para atracar. "Recebemos sondagens comerciais de empresas que pretendiam vir, mas não houve confirmação. Estamos atrás disso", disse.

O local terá capacidade para receber três mil passageiros por hora. Conforme estimativa da Codern, com a abertura do novo terminal, haverá um fluxo de 32 mil turistas/ano.

O prazo desta quarta-feira já é o quinto dado pela Codern para entrega do TMP. A última data informada era 30 de maio. Uma das justificativas para a obra não ter sido entregue ainda em dezembro de 2013, conforme declarou em setembro passado o presidente da Codern, Pedro Terceiro de Melo, foram "dificuldades em virtude do desmoronamento de estruturas antigas".

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Projeto prevê ligação marítima do Galeão com o Centro do Rio

24/04/2014 - O Globo

O secretário estadual de Turismo levou a proposta ao ministro-chefe da Secretaria da Aviação Civil, em Brasília

Magnavita também pediu ajuda para inclusão da promoção dos aeroportos regionais no Plano Estadual de Turismo


PAULO ROBERTO ARAÚJO

RIO — O Rio poderá ter uma ligação marítima ligando o Aeroporto Tom Jobim ao Centro antes das Olimpíadas de 2016. O projeto foi levado, nesta quarta-feira, pelo secretário estadual de Turismo, Cláudio Magnavita, ao ministro-chefe da Secretaria da Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, em Brasília. Magnavita também pediu ajuda do ministro para a inclusão da promoção dos aeroportos regionais no Plano Estadual de Turismo.

— Esta ligação será fundamental para as Olimpíadas, e o apoio da SAC, Infraero e Anac será fundamental para que o projeto saia do papel e vire realidade. Por outro lado, a implantação dos novos aeroportos regionais, como o de Angra dos Reis, Paraty, Volta Redonda, Resende, Itaperuna, Campos dos Goytacazes, Macaé e Cabo Frio devem ser acompanhados de um plano de promoção e captação de voos e estimulo de tráfego de turistas — defendeu Magnavita.

Segundo o secretário, o Rio será o primeiro a desenvolver um plano estadual de turismo, priorizando o desenvolvimento das ligações aéreas regionais.

— A chegada dos novos aeroportos mudará completamente o crescimento do fluxo turístico em todo o estado. Angra dos Reis, Paraty e Cabo Frio passarão a ter muito mais competitividade no cenário nacional e temos que estar preparados para este momento — acrescentou Magnavita.
Moreira Franco considerou importante a integração da promoção turística com estes terminais regionais.

— Investir na aviação regional é um compromisso do governo. Encurta distâncias, facilitando a vida das pessoas — afirmou o ministro, acrescentando que a proposta da ligação marítima entre o aeroporto do Galeão e o Centro do Rio deve ser uma iniciativa do estado e do município e que o projeto deve final deve ser apresentado à Secretaria de Aviação Civil.

Ainda em Brasília, o secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro foi recebido pelo presidente em exercício da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Claudio Passos, que analisou a proposta da ligação marítima do Galeão de forma experimental, já para a Copa, e repassou a proposta para o grupo técnico que está cuidando da operação logística do megaevento esportivo.

Na ocasião, também foi definido uma ação integrada de assistência ao turista, com distribuição de material de orientação ao passageiro nos postos de informação turística da Setur-RJ durante a Copa.

— Uma das nossas missões durante a Copa do Mundo é dar assistência aos visitantes e é natural que a Anac utilize os nossos canais para orientar o passageiro — concluiu Magnavita.
 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/projeto-preve-ligacao-maritima-do-galeao-com-centro-do-rio-12282940#ixzz2zpVKR1bC 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

domingo, 2 de março de 2014

Jumbo Cat começa a operar em linhas na Baía de Guanabara

28/02/2014 -O Globo



RIO - Após um dia de testes operacionais, o catamarã Jumbo Cat II, que durante muitos anos transportou passageiros entre o Rio e Niterói quando pertencia à empresa Transtur, volta a operar nesta sexta-feira, incorporado à frota da CCR Barcas, nas ligações da Praça da Praça Quinze com Charitas, Cocotá e Paquetá.

Arrendado pela Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio (Cedurp), a embarcação, fabricada em Cingapura, estava parada no estaleiro desde 2007, quando a Transtur deixou de operar na ligação especial entre Rio-Niterói. O arrendamento é uma compensação pelos transtornos ao trânsito com a derrubada do Elevado da Perimetral, que acabaram por aumentar a procura pelas barcas.

Segundo a CCR Barcas, o volume de passageiros nas barcas aumentou em média 20% em todas as linhas nas últimas três semanas, após a interdição total da Perimetral e com o fechamento do Mergulhão da Praça Quinze. O Jumbo II, que foi reformado, tem capacidade para 420 passageiros e opera com cinco tripulantes: piloto, comandante de máquinas e quatro marinheiros.

-- É uma embarcação segura e de manobra fácil. Teve alguns problemas na década passada por causa da falta de peças de reposição, que vinham da Alemanha. Era triste ver este catamarã parado no estaleiro -- disse Antônio Cametá Caldas, que pilotou o Jumbo em 2003 e 2004.

O Jumbo, que está com motoe novo, adquirido na Alemanda, vai operar nas linhas que apresentarem maior demanda de passageiros. Ele não será usado na linha Rio-Niterói porque esta, devido ao grande movimento de usuários, exige embarcações com capacidade mínima para mil passageiros.

Nesta quinta-feira, a CCR Barcas transportou 140 mil pessoas, o recorde dos últimos anos. O movimentou provocou filas enormes, mas não houv e tumulto. Até a quarta-feira de cinzas, a previsão é de que sejam transportados cerca de 480 mil passageiros.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Em Manaus, a 1ª linha de transporte coletivo fluvial

07/01/2014 - A Crítica

Iniciativa pioneira de moradores e de um empresário tira do papel promessa antiga e inaugura transporte urbano por lancha na Colônia Antônio Aleixo, ZL da capital do AM

Adan Garantizado e Florêncio Mesquita

Passageiro ainda pode apreciar a vista do Encontro das Águas
créditos: Marcio Silva

Desde sábado (4) os moradores do bairro Colônia Antonio Aleixo, na zona leste de Manaus (AM) passaram a contar com um novo sistema de mobilidade urbana, o transporte coletivo fluvial. A primeira linha de transporte urbano fluvial da cidade amazônica foi possível graças ao esforço da própria comunidade, que elaborou um projeto e procurou a iniciativa privada para torná-lo realidade.

O "grito de liberdade" para acabar com a dependência dos ônibus do transporte coletivo foi dado pelos moradores e pelo empresário dono da embarcação, que juntos abraçaram a proposta.

Os moradores dependiam exclusivamente da linha 604 de ônibus para chegar ao Centro, numa viagem de até 2 horas de duração, em meio a congestionamentos, principalmente em horário de pico. A outra linha que atende o bairro, a 085, vai só até para o Terminal 5, no São José. Além de lotados, os coletivos nessa localidade são desconfortáveis e vivem quebrando, o que aumentava ainda mais a duração da viagem.
Agora, a população já conta com essa opção de uma embarcação modelo "a jato", que faz o percurso em 30 minutos e tem capacidade para 43 passageiros. Os passageiros vão sentados em poltronas reclináveis, e ainda podem admirar a orla de Manaus, num ambiente climatizado equipado com quatro TVs, banheiro e até café da manhã na embarcação.

O preço da passagem é R$ 10, ou seja, R$ 7,25 maior que a tarifa de ônibus atual de R$ 2,75, mas os moradores afirmam que o valor compensa pelo conforto e menor tempo de viagem. Uma corrida de táxi da Colônia Antônio Aleixo até o centro custa cerca de R$ 80 na bandeira 1. Alguns mototaxistas que atuam no bairro chegam a fazer o trajeto por R$ 50.

Alternativa viável
O transporte fluvial como alternativa viável para a mobilidade urbana da capital esteve nas propostas de candidatos a prefeito, pelos menos, nos últimos 12 anos. No entanto, sequer chegou a se tornar realidade, em função de interesses de agentes públicos em manter a exclusividade de transporte para empresas de ônibus. A população do bairro Colônia Antonio Aleixo provou que a alternativa fluvial é viável.

A Colônia Antonio Aleixo é composta por nove comunidades. A lancha a jato vai partir de domingo a domingo do terminal da comunidade 11 de Maio, fará uma parada para pegar passageiros no porto da comunidade Nova Esperança e outra na comunidade Bela Vista até seguir para o Centro, onde atracará no "terminal do a jato", na Manaus Moderna. Num primeiro momento, apenas uma embarcação fará o trajeto de hora em hora. Caso a demanda aumente, outra lancha a jato com capacidade para 60 pessoas será inserida no transporte fluvial.

No sábado, a lancha foi alvo de curiosidade de muitos moradores da Colônia Antônio Aleixo desde que chegou ao terminal da comunidade 11 de maio. A maioria aproveitou para conhecer a embarcação e prometeu utilizar o serviço. Poucos, porém, embarcaram na linha inaugural, que saiu às 9h rumo ao Centro.

O industriário Leonildes dos Santos, 34, precisava resolver algumas pendências na área central de Manaus. Ele aprovou o meio de transporte e o preço cobrado. "O ônibus coletivo aqui é muito ruim. E quem mora no começo do bairro sofre mais. Geralmente as pessoas vem pegar o 604 aqui no terminal do 11 de maio. Quando o ônibus chega lá no começo da Colônia, ele passa direto, pois já está lotado. Pagar R$ 10 pra ir em um conforto desses é ótimo", disse.

Já para a estudante Sabrina Vaz, 18, o percurso virou um verdadeiro passeio turístico. "Ficar parado no trânsito é um estresse muito grande e você perde muito tempo. Na lancha, além da rapidez, eu ainda posso admirar a paisagem e o encontro das águas. É outro clima", enumerou.

Leia também:
Em Manaus, ciclistas aprovam aluguel de bicicletas na Ponta Negra
Manaus: apenas duas linhas de ônibus circulam na madrugada. Prefeitura acha suficiente








Voltar
Compartilhe:
Comentários
Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!
Clique aqui e deixe seu comentário
Mais lidas
Do diaDa semanaDo mêsGeral
06.01 | VLT - Cidades que retomaram o bonde como alternativa de transporte

25.06 | Ônibus - Quer saber onde está seu ônibus? Olha no Google!

08.01 | Transporte Individual Motorizado - Nova York afastou os carros das ruas. Veja como

25.06 | Ônibus - Quer saber onde está seu ônibus? Olha no Google!

30.12 | Transporte Individual Motorizado - Uso de bicicletas elétricas passa a ser regulamentado pelo Contran

15.02 | Políticas Públicas - Recife e Olinda têm esquema especial para o transporte no carnaval

ver mais



Notícias relacionadas
BICICLETA
Em Manaus, ciclistas aprovam aluguel de bicicletas na Ponta Negra
ÔNIBUS
Manaus: apenas duas linhas de ônibus circulam na madrugada. Prefeitura acha suficiente

VLT E MONOTRILHO
Justiça Federal suspende implantação do monotrilho em Manaus
ÔNIBUS
Mais de 70% dos pontos de ônibus não têm abrigo em Manaus
Últimas notícias
ÔNIBUS
Suspensa licitação para construção de 150 km de corredores de ônibus em São Paulo
BICICLETA
Como a bicicleta pode salvar o mundo

METRÔ
Tempo de espera metrô/ônibus compromete integração no Recife
BARCAS E BALSAS
Em Florianópolis, travessia por transporte marítimo é testada